Área de trigo pode aumentar no Brasil: Preços menores?

De acordo com a Consultoria TF Agroeconômica, o principal fator positivo a favor do aumento da produção de trigo da Safra 2021 no Brasil é o atraso na produção de soja/milho da safra de verão. “Este argumento poderá anular a maior rentabilidade do milho Safrinha. Isto poderá fazer os agricultores do Paraná aumentarem em aproximadamente 10% a sua área”, dizem os analistas.

“Se houver essa ampliação, passaria dos atuais 1.118 mil hectares para algo ao redor de 1.230 mil hectares. Se mantiver a produtividade de 2.950 kg/hectare, poderá produzir algo como 3,63 milhões de toneladas, ou 20% a mais do que a produção do ano passado”, apontam os especialistas da TF.

No Rio Grande do Sul, segundo maior produtor nacional, a própria Conab já está estimando um aumento de produção de 10,6%, para 2,5 milhões de toneladas, mas sem aumentar a área. Qualquer aumento de área significará aumento proporcional de produção, se o clima não atrapalhar, claro.

Com este provável aumento de 1,1 milhão de toneladas na produção brasileira da safra de 2021, os analistas da TF Consultoria Agroeconômica acreditam que o preço médio do trigo, para o agricultor, no segundo semestre de 2021 seja de R$ 60,00 (R$ 1.000,00/t), contra os atuais R$ 75,25, cerca de 20,26% a menos do que o preço atual, mas ainda com lucro de 17,64% sobre os custos variáveis de produção.

“Alguns analistas, porém, acreditam que seja pouco provável que os agricultores aceitem preços menores do que R$ 1.300,00/t (R$ 77,94), mas, se assim for, será difícil concorrer com o trigo argentino, que deverá chegar ao Brasil ao redor disto, como mostramos também abaixo”, concluem os analistas da Consultoria.

Fonte: Agrolink
Acesse nosso e-commerce: https://anglasa.com.br/

Dúvidas e sugestões?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *