Irrigação com bactérias diminui uso de fertilizantes

Fertilizantes e pesticidas fornecem os nutrientes necessários que a planta não pode buscar e defendê-la de doenças e insetos. Isso aumenta a produção de alimentos, mas traz outros problemas. Por um lado, a qualidade da ração pode ser reduzida e, por outro, a saúde do solo é alterada a longo prazo. Na verdade, hoje, um terço do solo em nosso planeta está moderada a altamente degradado.

Portanto, alternativas mais ecológicas (e economicamente aceitáveis) estão sendo buscadas para manter a produção agrícola sem agredir o meio ambiente. Uma dessas alternativas é o uso de bactérias.

Muitas dessas bactérias não estão no solo por acaso. Alguns conseguiram fazer um pacto com as plantas e, ao longo dos anos, adaptaram-se a viver com elas. As bactérias se alimentam do que as plantas excretam de suas raízes e, em troca, fazem alguns favores por elas. Por exemplo, existem bactérias que produzem hormônios vegetais que aumentam o crescimento das raízes. Eles também ajudam a planta a retirar nutrientes do solo.

Elementos como nitrogênio, ferro e fósforo são essenciais para as plantas. Muitas vezes, há uma quantidade suficiente desses elementos no solo, mas de maneiras que os vegetais não podem absorvê-los. Como se não bastasse, eles também são capazes de produzir compostos contra certos insetos, fungos e outras bactérias patogênicas. Assim, existem bactérias que são capazes de agir como verdadeiros fertilizantes e pesticidas vivos, e seu uso como fertilizantes naturais em uma ampla variedade de plantações está sendo estudado. As informações são de Jennifer Mesa Marín , pesquisadora em Microbiologia Ambiental da Universidade de Sevilha.

Fonte: Agrolink
Acesse nosso e-commerce: https://anglasa.com.br/

Sugestões ou dúvidas?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *